sexta-feira, 25 de maio de 2012

Compostagem

 A compostagem é um processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica, como estrume, folhas, papel e restos de comida, num material semelhante ao solo a que se chama composto.






Como iniciar a sua compostagem…
Escolha um sitio plano no seu terreno, próximo de uma fonte de água e não muito longe de casa. Limpe o espaço onde vai construir uma caixa, com +/- 1m2 ( pode fazer várias), com madeira ou rede galinheira, em contacto directo com o chão.



Materiais que poderá colocar no seu compostor…

v  Materiais ricos em azoto (N)

Ø  restos produzidos na cozinha:       
§   as cascas e restos de batata e frutas
§   os legumes e hortaliça
§   as borras e filtros usados de café
§   as folhas e sacos de chá
§   o pão,
§   o arroz e a massa,
§   a casca de ovo esmagada

v  Materiais ricos em carbono (C)

Ø  são sobretudo os produzidos nas limpezas do jardim:

§  aparas de relva e erva
§  folhas secas
§  ramos pequenos provenientes de podas ou limpezas do jardim
§  feno e palha
§  aparas de madeira e serradura
§  cinzas (pequena quantidade)


Comece a pilha com uma camada de ramos partidos para facilitar o arejamento. 

Depois faça uma camada com 5 a 10 cm com materiais C, depois uma de igual espessura de materiais N e assim sucessivamente. 

A camada do topo deverá ser de material C. Logo que os resíduos orgânicos sejam colocados no recipiente de compostagem inicia-se o processo de decomposição através da acção de bactérias e fungos, sem termos que fazer nada. 

É um processo natural que se desenvolve por si. No entanto, para que corra bem e sem maus cheiros, é necessário que haja oxigénio suficiente, uma certa temperatura e que a humidade esteja dentro de certos limites.

Fonte: http://www.agricabaz.org/2010/03/como

2 comentários:

Sansoni7 disse...

Olá
Também sou fã da Compostagem e tenho um «vasão» oferecido pela LIPOR a troco de um mini curso sobre compostagem.
Da minha experiência, considero uma experiência interessantíssima, pois ver cascas e folhas darem «terra» é um espanto. No entanto, também considero um processo que exige regras ( revirar a pilha com frequência para facilitar a entrada de oxigénio para evitar os maus cheiros)e que tem como principal dificuldade, em minha opinião, conseguir arranjar material seco em quantidade para misturar com os restos da cozinha.
Apesar de tudo, vale a pena e o Meio Ambiente e as nossas plantas agradecem.

Cumprs e boas culturas.
Augusto

A Minha Horta Biológica disse...

Para já a minha compostagem, não está assim tão "arrumadinha", tenho no terreno um monte enorme , onde coloco todos os restos, inclusive o esterco dos coelhos e toda a erva de parte do terreno que limpei, mas como comecei apenas em Maio, veremos o que vai dar!!